You are currently viewing Anticoncepcionais ajudam a prevenir o diabetes em mulheres com SOP?
Hand holding a blood glucose meter measuring blood sugar, the background is a stethoscope and chart file

Anticoncepcionais ajudam a prevenir o diabetes em mulheres com SOP?

Não bastasse todos os demais efeitos que a Síndrome dos Ovários Policísticos causam nas mulheres, há também uma estreita relação entre a diabetes e SOP.

As mulheres com SOP têm o dobro do risco de desenvolver diabetes tipo 2 ou pré-diabetes (disglicemia). Isso destaca a necessidade urgente de encontrar tratamentos para reduzir esse risco.

Ou seja, além do risco de diabetes tipo 2, a SOP — que afeta 10% das mulheres em todo o mundo — também está associada a várias outras condições a longo prazo, como câncer de endométrio, doenças cardiovasculares e doença hepática gordurosa relacionada ao álcool.

E é sobre a relação entre diabetes e SOP que abordo no artigo que preparei abaixo. Vamos conferir GINEmusas?

A SOP

Os sintomas da SOP incluem períodos irregulares ou ausência de menstruação. Isso pode levar a problemas de fertilidade, e muitos sofrem de crescimento indesejado de pelos no rosto ou no corpo, perda de cabelo no couro cabeludo e pele oleosa ou acne. 

Esses sintomas são causados ​​por altos níveis de hormônios chamados andrógenos no sangue de mulheres com SOP.

Ainda, as mulheres com SOP também costumam lutar com o ganho de peso e as células do corpo costumam responder menos à insulina. Ele é o hormônio que permite que o corpo absorva glicose (açúcar no sangue) nas células para obter energia. 

Essa resposta reduzida à insulina pode levar a níveis elevados de glicose no sangue. E também fazer com que o corpo produza mais insulina, o que, por sua vez, faz com que o corpo produza mais andrógenos. 

Os andrógenos aumentam ainda mais os níveis de insulina — conduzindo um círculo vicioso.

Leia também::: A relação entre a SOP e Autismo

A pesquisa sobre Diabetes e SOP

Para explicar essa relação entre Diabetes e SOP, há diversos estudos. Um deles, publicado em outubro de 2021 pela University of Birmingham, pesquisou essa relação, qual o efeito da pílula anticoncepcional no organismo feminino.

A equipe de cientistas realizou dois estudos para, em primeiro lugar, identificar o risco de desenvolver diabetes tipo 2 e pré-diabetes em mulheres com SOP.

Em segundo lugar, investigar o impacto do uso de contraceptivos orais combinados, muitas vezes referidos como ‘a pílula’, sobre o risco de diabetes tipo 2 e pré-diabetes em mulheres com SOP. 

Usando registros de pacientes do Reino Unido de 64.051 mulheres com SOP e 123.545 mulheres controle sem SOP, eles realizaram primeiro um grande estudo de coorte populacional para analisar o risco de diabetes tipo 2 e pré-diabetes. 

Eles descobriram que as mulheres com SOP tinham duas vezes o risco de diabetes tipo 2 ou pré-diabetes, em comparação com aquelas sem SOP. 

Eles também identificaram o hirsutismo (crescimento excessivo de pelos) — um sinal clínico de altos níveis de andrógenos — como um fator de risco significativo para diabetes tipo 2 e pré-diabetes entre mulheres com SOP.

Anticoncepcionais e diabetes

Para investigar o impacto do anticoncepcional no diabetes tipo 2 ou pré-diabetes, os pesquisadores realizaram um estudo de controle de caso aninhado de 4.814 mulheres com SOP. 

Os cientistas descobriram que o uso de contraceptivos orais combinados reduziu as chances de desenvolver diabetes tipo 2 e pré-diabetes em mulheres com SOP em 26%.

A pílula contém estrogênios que aumentam uma proteína no sangue chamada globina de ligação ao hormônio sexual (SHBG). 

A SHBG se liga aos andrógenos e, assim, os torna inativos. Assim, se a pílula for tomada, a SHBG aumenta. 

Isso diminui a quantidade de andrógenos ativos e não ligados, reduzindo seu impacto sobre o risco de insulina e diabetes.

Os perigos do anticoncepcional

Apesar de mostrar-se promissor para a diabetes em mulheres com SOP, o uso do anticoncepcional no tratamento de mulheres com síndrome dos ovários policísticos deve sempre ser feito com cautela.

Quando as mulheres começam a apresentar, ainda adolescentes, os primeiros indícios de quem têm ou de que irão desenvolver SOP, procuram o ginecologista, o endócrino ou até mesmo o pediatra, a fim de encontrar uma maneira de eliminar os sintomas desconfortáveis que citei no tópico anterior. 

E aí já está o grande problema, as pessoas buscam a tratamento dos sintomas e não da causa.

A irregularidade menstrual é uma das principais queixas das mulheres. Com menstruações descompassadas, mês sim, mês não, ou longos meses sem menstruar, o desejo de controlar o fluxo menstrual as motiva a procurar ajuda de um especialista.

E neste contexto é muito comum que o ginecologista ou outro médico indique de imediato o uso de pílulas anticoncepcionais.

Não é a melhor opção

Isso acontece porque ao utilizar uma pílula contraceptiva que tem ação anti-androgênica, ou seja, ação que diminui os níveis de testosterona da paciente, ela vai apresentar melhora na oleosidade da pele e ter diminuição das acnes, o que no primeiro momento tende a parecer perfeito.

Além disso, ao repetir o exame de ultrassom os cistos que antes existiam no ovário também terão sumido (na maioria das vezes).

Mas, se por algum motivo, a paciente precisar parar com o uso da pílula a doença vai se manifestar novamente. Afinal, a causa não foi tratada e o desequilíbrio hormonal continua existindo no organismo. Esse desequilíbrio é o responsável pelos sinais e sintomas apresentados.

Leia também::: SOP causa queda de cabelo?

Busque outros tratamentos

O uso do anticoncepcional somente minimiza os efeitos visuais da doença, melhorando temporariamente os sintomas mais desconfortáveis. Mas sem tratar a causa da Síndrome levando a uma piora progressiva com o passar do tempo.

Dito isto, é preciso entender que o tratamento da SOP requer mudança de estilo de vida. A mulher precisa estar atenta a sua alimentação, reduzindo e/ou eliminando os carboidratos refinados e praticar exercícios físicos diariamente. 

O treino HIIT tem uma resposta muito positiva em sensibilizar a insulina, assim como a famosa dieta lowcarb, desde que, devidamente acompanhados por bons profissionais.

Mas vale reforçar que o tratamento deve ser avaliado pelo seu ginecologista a fim de encontrar a melhor combinação para o seu caso.

Cuide do seu corpo

Ou seja, apesar de promissor para combater a diabete e SOP, a pílula anticoncepcional não é a melhor opção. Como apresentei acima, a mudança no estilo de vida, aliado a atividades físicas, é bom para reduzir os sintomas das SOP, ao mesmo tempo que reduz as possibilidades de diabetes.

De qualquer forma, espero que tenha compreendido a relação entre diabetes e SOP e, para mais dicas e muita informação sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos, siga meu canal do Youtube!