Reposição hormonal e menopausa: conheça os riscos e benefícios

Reposição hormonal e menopausa: conheça os riscos e benefícios

A chegada da menopausa implica em mudanças físicas e biológicas na vida da mulher. Tal acontecimento é um marco importante, que por vezes, chega acompanhado de muitas dúvidas. As principais questões envolvem reposição hormonal e menopausa e por este motivo, escrevi o artigo que você verá a seguir.

Biologicamente, acontece a redução da atividade ovariana o que diminui a produção de ESTRADIOL o principal estrogênio ovariano, hormônio importante na regulação da gordura corporal, do colesterol, metabolismo e dos açúcares no corpo feminino. Portanto, doenças graves podem surgir em decorrência desta deficiência hormonal, caso ela seja negligenciada pela paciente.

No que diz respeito às mudanças físicas, a mulher enfrenta uma onda de envelhecimento abrupto, sendo que os hormônios sexuais param de ser produzidos, influenciando na vitalidade da pele, cabelo, estrutura corporal e sexualidade.

Todas essas questões fazem com que a mulher se preocupe com a saúde na pós menopausa e muitas delas recorrem a reposição hormonal como forma de amenizar tais consequências.

Dada a relevância deste assunto e a recorrência das dúvidas sobre reposição hormonal e menopausa que recebo nos meus canais de comunicação, resolvi esclarecer alguns pontos que rondam essa fase da vida feminina.

Sendo assim, minha Ginemusa, para compreender os riscos e benefícios da reposição hormonal, observe esta leitura até o final.

Sintomas da menopausa

É comum que a mulher tenha dificuldade em identificar se ela já adentrou, ou não, na fase do climatério. O climatério é o estágio que antecede o acontecimento da menopausa, que por sua vez, é apenas o nome dado a última menstruação.

Contudo, é na fase do climatério que se apresentam os primeiros sintomas característicos da menopausa, ainda que a mulher não tenha parado de menstruar totalmente.

Assim sendo, a identificação e recorrência desses sintomas é um forte indício de que a menopausa se aproxima.

Observe abaixo uma lista com os principais sintomas da menopausa e identifique se você possui um ou mais deles:

  • Ondas de calor e vermelhidão que começam sem nenhum motivo aparente e tomam conta da face e do pescoço;
  • Sudorese noturna que chega a atrapalhar o sono;
  • Queda de cabelos mais frequente do que o normal;
  • Unhas quebradiças;
  • Dificuldade para dormir, tendo noites agitadas e cansativas;
  • Sensações de cansaço mais frequentes do que normal;
  • Diminuição da libido acompanhada de ressecamento vaginal;
  • Alterações bruscas de humor – choro fácil e irritabilidade;
  • Sensações de tristeza e ansiedade que aparecem sem motivo;
  • Menstruação irregular, até ficar 12 meses consecutivos sem menstruar – que é o diagnóstico clínico de Menopausa.

As manifestações citadas acima não nos deixam esquecer que a qualidade de vida da mulher é extremamente prejudicada nesta fase.

Apesar disso, ela pode contar com a mudança do estilo de vida e com os tratamentos que auxiliam no enfrentamento dos sintomas, a exemplo da reposição hormonal, foco deste artigo.

Reposição hormonal e menopausa

Se existem dúvidas recorrentes sobre o acontecimento da menopausa, multiplique essas questões por mil quando se fala em reposição hormonal.

Ainda é grande o número de mulheres que desconhecem os riscos e benefícios desse tratamento e sofrem sozinhas as consequências da queda hormonal decorrente do climatério e da menopausa – achando que isso é normal e que deve fazer parte deste momento de suas vidas. Mas essa é uma realidade que precisa mudar e cabe aos especialistas em saúde da mulher, levar o conhecimento acerca deste assunto para o maior número de pessoas possível.

Para que a mulher possa optar pela reposição hormonal (ou não), ela precisa conhecer seus riscos e benefícios, colocando na balança com o nível de qualidade que deseja cultivar ao longo dos próximos anos de vida.

À vista disso, vamos analisar esses dois aspectos.

Riscos da reposição hormonal

A combinação hormonal e os tipos de hormônios utilizados são fatores chave para o sucesso, ou não, da reposição hormonal na menopausa.

Muitas mulheres têm dúvidas quanto ao aumento do risco de câncer de mama ligado a reposição hormonal. Existem estudos que relacionam a reposição hormonal baseada em etinilestradiol aliado a progestágeno (dois hormônios sintéticos) com o aumento do risco de câncer de mama invasivo. Contudo, o mesmo não aconteceu com a reposição baseada em estrogênio isolado.

Além disso, a reposição hormonal realizada sem uma INVESTIGAÇÃO médica, direcionada a contraindicação do uso do estrogênio, pode desencadear possíveis problemas vasculares. E é COMPLETAMENTE CONTRA INDICADA.

É importante destacar que os riscos elencados acima se apresentam quando a reposição hormonal é feita sem orientações complementares, ou seja, quando o médico acaba por negligenciar o estilo de vida da mulher e sua evolução ao longo da vida fértil. Tais elementos são importantes para se chegar a um tratamento benéfico e eficiente.

Benefícios da reposição hormonal

Sendo assim, a reposição hormonal beneficia a mulher em aspectos físicos, emocionais e metabólicos que são profundamente afetados com a chegada da menopausa. Ademais, ocorre o fortalecimento da estrutura óssea (reduz risco de osteoporose), aumentando a qualidade de vida da mulher, desde que associada a prática regular de atividade física.

Um estudo publicado recentemente, reforçou que a reposição oral de estrogênio logo nos primeiros anos da menopausa reduz a chance de aterosclerose, ou seja, do “acúmulo de gordura” nas artérias carótidas, especialmente.

Além disso, existe novos trabalhos norte-americanos evidenciando benefícios da reposição hormonal na mulher através uso de hormônios isomoleculares que são aqueles com estrutura mais parecida com a dos hormônios produzidos no organismo feminino, reduzindo a ingestão de hormônios totalmente artificiais. Mas esse é assunto para outro artigo, minha Ginemusa!

A importância de se entender os riscos e benefícios da reposição hormonal na menopausa vão além da simples possibilidade da escolha quanto ao tratamento. 

Mas sim, está relacionada ao quanto uma mulher na idade madura pode sofrer por falta de conhecimento ou orientação médica adequada.

Uma fase, muitos desafios

Ao chegar nesse ponto da leitura, você acaba de conquistar um conhecimento importante para tomar decisões e questionar o seu médico com relação a reposição hormonal e menopausa.

Conhecimento é poder. E quando se fala na saúde da mulher, esse princípio se torna ainda mais relevante.

A chegada da menopausa envolve diversos desafios que precisam ser enfrentados pelas mulheres que desejam ter uma vida longa e saudável, apesar do inevitável avançar da idade. 

A reposição hormonal é uma forma de alcançar esse objetivo, desde que guiada por um profissional alinhado com as suas expectativas e com seu histórico de vida.

Não existe um único caminho para se ter uma saúde plena e, felizmente, todas as mulheres podem fazer suas escolhas ao longo da sua história.

Você também pode gostar de ler: Tire suas dúvidas sobre climatério e menopausa

Para acompanhar outros conteúdos sobre saúde da mulher, siga minhas redes sociais e se inscreva no meu Canal do Youtube: Dr. André Vinícius. Vejo você por lá!

Deixe uma resposta