You are currently viewing Qual a relação entre endometriose e depressão?

Qual a relação entre endometriose e depressão?

A conexão entre endometriose e depressão é determinada principalmente pelos sintomas que são desencadeados e que afetam diretamente a qualidade de vida da mulher.

É por isso que torna-se fundamental que o suporte à saúde mental seja considerado ao lidar com a endometriose, pois sentir-se incompreendida ao sentir uma forte dor crônica pode causar um grande prejuízo em seu bem-estar.

Aliás, etudos destacaram que a endometriose não afeta apenas a saúde física. A realidade é que viver com dor crônica associada à endometriose pode tornar quase impossível se socializar, trabalhar ou realizar as tarefas básicas. 

Ter sua dor reduzida a “cólicas menstruais fortes” ou um pouco de dor nas costas pode não apenas fazer a mulher sentir-se isolada, mas também tornar o diagnóstico ainda mais difícil. 

Para falar mais sobre a relação entre endometriose e depressão, preparei o artigo abaixo com algumas informações que considero úteis. Vamos conferir?

Endometriose e depressão

A associação entre endometriose depressão vem sendo ativamente investigada por especialistas na área. 

Estudos demonstraram que a endometriose e seus sintomas e experiências relacionados podem levar ao comprometimento da saúde mental e diminuição da qualidade de vida. 

Prevê-se que essa associação seja mais forte em mulheres que não têm um parceiro compreensivo ou sistema de apoio, bem como nas que apresentam sintomas crônicos e graves. 

Apesar disso, qualquer mulher com endometriose, independentemente da situação pessoal ou dos sintomas, pode correr o risco de desenvolver problemas de saúde mental como ansiedade e depressão.

Alguns dos possíveis fatores relacionados à endometriose que podem levar ao desenvolvimento de ansiedade ou depressão (entre outras condições de saúde mental), são: 

  • dor pélvica crônica
  • dor durante o sexo
  • infertilidade
  • tempo desde o diagnóstico
  • idade
  • estado de relacionamento
  • apoio do parceiro 
  • autopercepção ou autoestima baixa 

Como um exemplo de como essas variáveis ​​podem interagir e levar a problemas de saúde mental, sintomas como dor durante o sexo, infertilidade e dor pélvica crônica podem levar a um sentido negativo da identidade feminina.

Isso, por sua vez, pode impactar na autoestima e autopercepção da mulher. A autopercepção negativa ou a baixa autoestima podem contribuir para os sentimentos de ansiedade ou depressão. 

Leia também::: Fatores de risco para a endometriose

Impacto do diagnóstico

Além disso, uma mulher que foi diagnosticada recentemente pode sentir maior sofrimento do que uma mulher que foi diagnosticada por décadas. 

Da mesma forma, mulheres que estão tentando ter filhos e são diagnosticadas com endometriose e têm problemas de fertilidade podem apresentar maior sofrimento mental do que uma mulher que é diagnosticada depois de ter filhos ou que não está tentando ter filhos. 

No entanto, é importante observar que esses são apenas exemplos potenciais e que a associação endometriose e depressão é muito mais complexa e pode variar muito de pessoa para pessoa. 

Alguns especialistas até levantam a hipótese de que a saúde mental e os sintomas físicos coexistem em um ciclo. E que um aumento em um leva a um aumento no outro. 

Por exemplo, a dor pélvica crônica pode levar a sentimentos de ansiedade ou depressão, que podem afetar ou aumentar os níveis de dor. 

Esse aumento da dor física pode então continuar o ciclo e aumentar os sintomas psicológicos novamente.

Leia também::: Endometriose: a importância do diagnóstico precoce

Conte com o apoio

Se você sofre com dores fortes, entre outros sintomas relacionados à endometriose, converse com seu médico para que o diagnóstico seja feito.

O tratamento existe e pode devolver à mulher uma boa parcela de sua qualidade de vida. ISso evita que ela tenha que carregar um terrível fardo que pode levá-la à depressão.

Espero que o artigo sobre a relação entre endometriose e depressão tenha sido útil e, caso queira se aprofundar ainda mais sobre o tema, com muitas dicas e informações, siga também meu canal do Youtube!