You are currently viewing Glúten: Como ele influencia nas doenças autoimunes?

Glúten: Como ele influencia nas doenças autoimunes?

Há uma ligação direta entre o glúten e as doenças autoimunes. Por isso, é essencial que pessoas que sofrem com esse tipo de condição tenham uma dieta mais restritiva.

Cada vez mais vemos a incidência de doenças autoimunes está aumentando entre a população. 

E uma dessas doenças é a celíaca, ou enteropatia por sensibilidade ao glúten. Ela é um distúrbio autoimune no qual o sistema imunológico reage exageradamente ao produzir anticorpos quando você ingere glúten.

Para explicar mais sobre essa relação entre glúten e doenças autoimunes, preparei o artigo abaixo com algumas informações. Então não tire os olhos da tela e confira agora mesmo!

Glúten causa inflamação crônica

A inflamação crônica é uma implicação em quase todas as doenças crônicas — incluindo doenças autoimunes. 

Em outras palavras, se você tem um problema crônico de saúde, provavelmente já teve inflamação no corpo por muitos anos. 

A inflamação de longo prazo pode desencadear doenças autoimunes devido aos danos que causa às células.

Coisas como estresse, escolhas alimentares e de estilo de vida, toxicidade em nosso ambiente e infecções crônicas contribuem para a inflamação crônica. 

Essas são as mesmas coisas consideradas as principais causas das doenças autoimunes.

Indo um passo adiante, a inflamação piora os sintomas e a progressão de doenças autoimunes. 

Qualquer coisa que você possa fazer para reduzir a inflamação geral e induzir mecanismos anti-inflamatórios em seu corpo ajudará a reverter o processo autoimune. 

Estudos mostram que as dietas sem glúten reduzem a inflamação geral.

Como observação, é muito importante que você tenha em mente que alimentos rotulados sem glúten – como “pão sem glúten” e “biscoitos sem glúten” – podem ser muito inflamatórios. 

Isso porque as alternativas ao glúten utilizadas nesses produtos — como a tapioca e a fécula de batata — podem ser ainda mais inflamatórias que o glúten.

Glúten altera o microbioma intestinal

Seu microbioma intestinal é composto por todos os microorganismos — as bactérias boas e más — que vivem em seu trato digestivo. 

A pesquisa continua revelando que nosso microbioma intestinal desempenha um papel crítico no desenvolvimento de doenças. 

Tais estudos até sugeriram que a autoimunidade pode se desenvolver a partir de um desequilíbrio no microbioma intestinal, também conhecido como disbiose. 

É por isso que você deve se concentrar em melhorar sua saúde intestinal se tiver uma condição de saúde autoimune ou crônica (mesmo que não tenha sintomas digestivos). 

E a comida é uma das maneiras mais rápidas de alterar o microbioma. Estudos sugerem que a composição bacteriana de seu intestino pode mudar rapidamente depois de comer alimentos!

Ou seja, quando você ingere consistentemente alimentos que alimentam as bactérias benéficas em seu intestino, você melhora seu microbioma. 

Mas glúten influencia negativamente o microbioma intestinal e pode influenciar diretamente o desenvolvimento e a progressão de doenças autoimunes. 

Isso por si só é um motivo convincente para eliminar o glúten de sua dieta!

O glúten certamente não é a única coisa que influencia as bactérias em seu intestino. Outros tipos de alimentos, estresse, medicamentos e infecções crônicas também podem influenciar a proliferação de bactérias no trato digestivo. 

No entanto, o glúten altera negativamente o microbioma e essas mudanças nas bactérias alteradas podem estar influenciando sua condição autoimune.

Leia também::: Como manter o peso saudável na menopausa?

Glúten deixa o intestino permeável

Outra razão convincente pela qual o glúten e as doenças autoimunes não se misturam é porque o glúten desempenha um papel significativo na criação de um intestino permeável. 

Um intestino permeável ocorre quando o revestimento do trato digestivo é danificado e perde a capacidade de funcionar adequadamente. 

Isso cria “buracos” no revestimento do intestino que não deveriam estar lá. Ou seja, se você tem um intestino permeável, partículas que não deveriam entrar na corrente sanguínea e circular por todo o corpo rompem o revestimento intestinal. 

Quando isso acontece, o sistema imunológico ataca essas moléculas, gerando uma resposta inflamatória. 

Acredita-se que este seja um dos mecanismos para o desenvolvimento de doenças autoimunes.

Em um estudo de 2009, foram sugeridas que três coisas devem estar presentes para que uma condição autoimune se desenvolva: 

  • Predisposição genética
  • Gatilho 
  • Intestino permeável

Por exemplo, o estudo ainda sugeriu que o glúten ativa diretamente a liberação de zonulina, a molécula que quebra as junções (ou cola) que mantêm nosso revestimento intestinal unido.

Em outras palavras, o glúten causa um intestino permeável. E isso cria a oportunidade para o “gatilho” entrar na corrente sanguínea, facilitando o desenvolvimento de doenças autoimunes. 

Leia também::: Obesidade: É dever do ginecologista conduzir o seu manejo

Cuide do seu corpo

Se você tem uma doença autoimune, o glúten pode estar influenciando fortemente seus sintomas e a progressão de sua doença.

O glúten não apenas causa inflamação, um microbioma alterado e um intestino permeável, mas também pode desencadear diretamente a autoimunidade em seu corpo por meio de mimetismo molecular.

Portanto, eliminar o glúten pode ser um passo importante para se sentir melhor. Remover o glúten da dieta pode parecer uma tarefa árdua, mas vale a pena. 

Espero que tenha gostado do artigo e compreendido a relação entre glúten e doenças autoimunes. 

Mas para saber mais, confira o vídeo que gravei para o meu canal, no qual abordo essa relação entre glúten e doenças autoimunes com a doutora Juliana Bicca. É só dar o play abaixo!