You are currently viewing SOP e ovários: seus efeitos vão muito além no organismo

SOP e ovários: seus efeitos vão muito além no organismo

A relação entre SOP e ovários está no nome e no imaginário das pessoas.

Afinal, o nome traz exatamente os ovários. Mas, isso esconde algo muito importante que é a cadeia de sintomas e efeitos que essa síndrome pode causar no organismo.

Logo, as pessoas focam sua atenção na morfologia do ovário, na formação de múltiplos cistos nos ovários, quando na realidade os ovários são apenas mais um dos órgãos que padecem das alterações hormonais.

Ao focarmos apenas nos sintomas, poderíamos chamar a SOP de “síndrome dos pelos faciais”, “síndrome da mulher que tem acne”, é claro, num cenário hipotético.

A SOP, diferente disso tudo, é uma doença endócrina, metabólica, reprodutiva e psicológica. Está associada a aumento de doenças cardiovasculares e complicações gestacionais que não se restringe apenas a infertilidade.

Afinal, a mulher com SOP que engravida tem maiores chances de abortamento, de desenvolver diabetes gestacional e sofrer com o parto prematuro.

Ou seja, diversos desfechos não favoráveis para a gestação.

No planejamento pré-concepcional, isso tudo precisa ser manejado para que possamos lançar mão de estratégias de normalização desses hormônios e engravidar com saúde.

Assim, com ajustes no estilo de vida e o tratamento adequado, a mulher pode levar uma vida com mais qualidade e sem sintomas.

Quais são as causas da SOP?

As causas da SOP não são bem esclarecidas ainda. O que está claro é se tratar de uma síndrome pluri-metabólica. Logo, conta com maiores chances de ter diabetes, hipertensão, doença cardiovascular, esteatose hepática….

Questões como o aumento de peso, deficiência de vitamina D e disbiose intestinal são consequências do desequilíbrio trazido pela SOP.

Existem muitos casos em que a mulher chega no consultório e já quer passar pela fertilização in vitro – FIV, no entanto, se estiver inflamada e acima do peso, primeiro é preciso passar por um processo de reequilíbrio do organismo.

Caso contrário, fica mais difícil prosseguir com a gestação saudável com o endométrio inflamado, acarretando em riscos de desenvolver diabetes gestacional e outras complicações.

É muito comum que, em meio ao próprio tratamento da SOP, enquanto ajustam os fatores de qualidade de vida, essas mulheres engravidem naturalmente e nem precisem passar pela FIV.

Qual é o melhor tratamento para a SOP?

Ao longo do período da quarentena, devido à pandemia de Covid-19, muitas das minhas pacientes que não conseguiam manter os cuidados que sempre recomendo em relação à SOP enfim seguiram com os seus tratamentos.

Isso porque passaram a dormir melhor e a se alimentar com mais qualidade, com a comida que elas mesmas preparavam.

Quando a mulher dorme bem e regula os seus níveis de melatonina, está fazendo um enorme bem ao seu organismo. A produção intra-ovariana de melatonina, apenas para as funções do próprio ovário, é 2 a 3 vezes maior no período de ovulação do que a produção pela glândula pineal.

Conhecemos a melatonina como o hormônio do sono, mas, para os ovários, exerce função essencial. Entre suas funções, podemos destacar:

  • Ação anti-oxidante;
  • Melhora a produção de progesterona;
  • Facilita a nidação;
  • Melhora a qualidade do hormônio anti-mülleriano;

Entende por que a relação entre SOP e ovários vai muito além?

Se a paciente consegue ter um estilo de vida mais saudável e se alimentar de forma mais adequada, com a prática de exercícios físicos, tende a manter os seus níveis hormonais mais equilibrados.

Leia também: Qual é a relação entre sono e infertilidade?

Doutor, qual dieta é para mim?

Todos sabemos que os hábitos saudáveis são importantes. Aí, a paciente costuma ficar perdida naquilo que precisa de fato colocar em prática.

Por exemplo, não há como indicar uma dieta low carb para a mulher com SOP que tem 42kg. Essa paciente deve receber tratamento individualizado e, conforme reage ao tratamento, as estratégias de abordagem da SOP podem ser aperfeiçoadas.

Estudos demonstram que não existe uma dieta mais acertada que outra para o manejo da SOP.  O padrão alimentar da paciente com SOP deve ser detalhado de acordo com sua própria fisiologia, da mesma forma que os exercícios físicos.

Uma paciente descompensada – como a maioria está – precisa de, no mínimo, 250 minutos semanais de atividade física, o equivalente a 50 minutos diários.

E, depois que estabiliza seus hormônios, esse tempo e intensidade podem diminuir.

Por isso, é importante manter o tratamento em dia e as consultas com o médico também. Para que seja avaliado o seu caso e a sua evolução no tratamento.

Viu só como a relação vai muito além de SOP e ovários?

Para saber mais sobre a síndrome dos ovários policísticos, assista ao vídeo abaixo e aproveite para se inscrever em meu canal do YouTube.