Qual é a importância do ômega-3 no tratamento da endometriose?

Qual é a importância do ômega-3 no tratamento da endometriose?

A suplementação de ômega-3 pode ser uma grande aliada das mulheres no tratamento da endometriose.

Normalmente, ao descobrir essa condição, muitas mulheres ainda ouvem que o caminho para resolver a endometriose e atenuar os seus sintomas está no uso de anticoncepcionais, o que não é totalmente uma verdade.

Essa doença ginecológica afeta, em média, 10% das mulheres ao longo do período reprodutivo e entre 3% a 5% daquelas que estão em menopausa.

A endometriose é caracterizada, principalmente, pelas células da região do útero (endométrio) espalhadas em locais externos à cavidade uterina.

Se é tão frequente e recorrente em uma grande parcela de mulheres, é no mínimo duvidoso imaginar que o tratamento possa ser o mesmo para todas.

Felizmente, os estudos relacionados ao tratamento dessa condição avançam e, hoje, sabemos que o organismo feminino deve ser investigado de forma global antes de tratar a endometriose.

Hoje, trouxe um estudo que relaciona principalmente a ação do ômega-3 no tratamento da endometriose.

O que diz o estudo?

Se você acompanha o que escrevo em minhas redes sociais, já sabe que gosto de prestar atenção em todos os hábitos da mulher antes de prescrever um tratamento.

Um deles, essencial ao bem-estar de qualquer pessoa, é a alimentação.

Por isso, considerei tão interessante esse estudo que demonstra como os bons níveis de ômega-3 podem fazer a diferença para a mulher que trata essa condição.

A pesquisa abordou mulheres entre 12 e 25 anos com quadro confirmado de endometriose que relataram sofrer com dores pélvicas.

As 147 participantes receberam, aleatoriamente, suplementação de vitamina D, ômega-3 e placebo, divididas nesses 3 grupos. A suplementação foi guiada diariamente, durante 6 meses.

Ao final desse período, pacientes que suplementaram esses dois nutrientes relataram diminuição nos quadros de dores pélvicas.

No entanto, as conclusões do estudo reconhecem que é importante conduzir novas pesquisas acerca do assunto, afinal, os resultados foram comparados com placebo.

ômega-3 na prevenção 

Quero destacar um estudo realizado nos Estados Unidos que aborda, também, a prevenção da endometriose.

Os pesquisadores avaliaram 70.709 mulheres em um período de 13 anos.

Os resultados indicaram que aquelas que ingeriram maior quantidade de ômega 3 em suas dietas, tiveram 22% menos chances de serem diagnosticadas com endometriose do que aquelas que comiam uma menor quantidade, que não comiam ou ainda que ingeriam gorduras trans.

Além disso, as mulheres que tinham contato com maiores quantidades de gorduras trans tiveram um risco 48% maior de desenvolver a doença, do que as que comiam em menor quantidade.

Esta é apenas uma comprovação científica de que os nutrientes da dieta, tanto de alimentação quanto de suplementação, podem influenciar os quadros de endometriose.

Ter uma dieta saudável, repleta de alimentos naturais, saudáveis e gorduras boas é um passo importante para a saúde do corpo de modo geral.